Turquia lança diplomacia científica no continente branco

Turquia lança diplomacia científica no continente branco
Turquia lança diplomacia científica no continente branco

A Turquia iniciou a diplomacia científica no Continente Branco. Pesquisadores turcos, realizando 7 projetos na Ilha Horseshoe como parte da 18ª Expedição Científica Nacional Antártica, visitaram as bases científicas de 8 países diferentes do continente, que contêm pistas importantes sobre o passado e o futuro da Terra. A delegação científica turca, que se reuniu com seus colegas nas estações científicas do Chile, Rússia, Brasil, Polônia, Argentina, Uruguai, Bulgária e Equador, por um lado, avaliou as oportunidades de trabalho científico conjunto e reforçou o objetivo de tornar a Turquia permanente no continente.

A CAIXA PRETA DO MUNDO

A 7ª Expedição Nacional Antártica Científica, realizada sob os auspícios da Presidência, sob a responsabilidade do Ministério da Indústria e Tecnologia e sob a coordenação do Instituto de Pesquisa Polar TÜBİTAK MAM (KARE), foi concluída com sucesso. A delegação expedicionária voltou à Turquia com novos dados científicos que irão decifrar os novos códigos do Continente Branco em sua jornada para explorar a caixa preta da Terra.

Alguns dos dados obtidos como resultado da expedição retornarão à publicação acadêmica com medições de longo prazo e exemplos ao longo dos anos. Alguns estudos, como a pesquisa sobre microplásticos, serão publicados como uma publicação acadêmica internacional no período de um ano.

Turquia lança diplomacia científica no continente branco

MÉDICOS TAMBÉM NA DELEGAÇÃO

A equipe da expedição trabalhou em 68 projetos com o tema principal “Mudanças climáticas e as diferenças criadas pelo impacto humano nas regiões polares” na Ilha Horseshoe, onde o acampamento científico turco temporário está localizado a 18 graus de latitude sul. Na delegação; Médicos de dois ramos diferentes também participaram de projetos de ciências da terra, ciências da vida, ciências físicas e ciências sociais. Os médicos que participaram da expedição forneceram suporte médico à equipe da expedição tanto no campo quanto a bordo durante a realização de seus projetos de pesquisa.

EXISTEM PRÓXIMAS 100 BASES CIENTÍFICAS

Pesquisadores turcos, que colheram muitas amostras e fizeram medições como amostras de água do mar, amostras vivas, microamostras vivas, fizeram visitas importantes em termos de diplomacia científica.

São quase 30 bases de pesquisa científica pertencentes a 100 países no continente mais frio, ventoso e seco do mundo. Delegação expedicionária; Escudero (Chile), Bellingshausen (Rússia), Comandante Ferraz (Brasil), Arctowski (Polônia), Carlini (Argentina) Artigas (Uruguai), St. Ele visitou as estações de Kliment Ohridski (Bulgária) e Maldonado (Equador). Gülcan Akoğuz, Embaixador da República da Turquia em Santiago, acompanhou a equipe durante as visitas às bases da Argentina, Brasil, Polônia e Chile.

14 CIENTISTAS NA VIAGEM DE 22 MIL QUILÔMETROS

Cientistas turcos, na jornada de 14 mil quilômetros partindo de Istambul, alcançaram a caminhada chilena de 80 metros. bayraklı Ele foi para a Ilha Horseshoe, onde está localizado o acampamento científico turco temporário, com o navio de pesquisa “Betanzos”. Durante a expedição de 34 dias, serviram 13 pesquisadores turcos de 19 instituições diferentes, 2 pesquisadores equatorianos e 1 colombiano. 21 tripulantes do navio acompanharam a tripulação na expedição.

Turquia lança diplomacia científica no continente branco

VOO DE 48 HORAS

Participaram da equipe pesquisadores da TUBITAK, Comando das Forças Navais, Direção Geral de Mapas, Direção Geral de Meteorologia, institutos de pesquisa e universidades. Durante a expedição, foram realizadas 48 horas e 33 mil quilômetros de aeronaves, 2 mil 500 quilômetros de cruzeiros, 200 horas de operações de barco.

NOSSA BANDEIRA ESTÁ ONDA

Coordenador da 7ª Expedição Científica Nacional Antártica Prof. dr. Burcu Özsoy, observando que houve um grande desastre de terremoto na Turquia durante a expedição, disse: “O desastre realmente nos machucou. Com essa tristeza, enquanto tentamos alcançar nossas cidades, nossa equipe foi para a Antártica e completou com sucesso seus estudos científicos com grande entusiasmo. Claro que isso é muito importante para nós. Isso significa diplomacia científica. Significa a bandeira da República da Turquia tremulando na Antártida.” disse.

PAÍS DE CONSULTORIA

Salientando que a coleta de dados científicos na Antártica é muito valiosa, o Prof. dr. Özsoy disse: “Temos equipamentos sísmicos na Antártica, temos equipamentos de meteorologia, temos equipamentos GNSS. Com este equipamento podemos medir ondas, marés e geleiras. Os dados a serem obtidos daqui contribuirão muito para a literatura.” ele disse. Özsoy afirmou que, graças a esses estudos, eles querem se tornar um país consultor no Sistema de Acordos Antárticos.

TRATAMENTO DE CÂNCER E ALZHEIMER

O líder da expedição científica, capitão Özgün Oktar, afirmou que está trabalhando em um projeto que visa tratar doenças como câncer e Alzheimer por meio de macrólidos este ano e disse: "Além disso, investigamos a presença de efeitos microplásticos induzidos pelo homem em diferentes ambientes. " disse.

PROTEGEREMOS AS ESPÉCIES ENDÉMICAS

Observando que estão trabalhando com o Reino Unido e a Bélgica na proteção dos lagos da Ilha Horseshoe, Oktar disse: “Novamente, estudos sobre o mapeamento do fundo desses lagos, a determinação dos parâmetros físicos e a compreensão da situação atual aceleraram a partir deste ano. Ao acompanhar esses lagos todos os anos e garantir que eles estejam protegidos, garantiremos que as espécies endêmicas neles sejam preservadas para o futuro”. ele disse.

NOTÍCIAS ASSUSTADORAS

Enfatizando que eles começaram a testemunhar algumas mudanças durante sua estada na Antártida, Oktar disse: “Algumas delas são, claro, o derretimento e diminuição das geleiras na ilha e, por outro lado, o aumento de algas e outros seres vivos na Baía de Lystad, onde está localizado nosso acampamento, juntamente com os nutrientes levados por essas geleiras para o mar. Para nós, é claro, essas notícias são assustadoras”. disse.

ISSO VAI GARANTIR QUE TEMOS VOZ

TÜBİTAK MAM Polar Research Institute Vice-Diretor Assoc. dr. Hasan Hakan Yavaşoğlu, explicando que muitos projetos nas áreas de ciências da terra, ciências físicas e ciências da vida estão sendo estudados no campo, "Os resultados científicos de qualidade que serão produzidos no final desses estudos serão os elementos que provam que nossa país tem uma palavra a dizer naquela região." ele disse.

Günceleme: 18/03/2023 13:17

Anúncios semelhantes